Ignorância é uma benção?

Vivemos em uma verdadeira gerra dos mundos, e sabe porque? Porque o mundo e a sociedade em que estamos imersos é dividida em submundos. Aparentemente quando andamos pelas ruas de uma mesma cidade todos nos parecemos iguais por natureza.

Mas apenas pela natureza de origem, pois nossa sociedade está dividida muita além da imersão cultural e religiosa. Temos também o mundo do sub-produto, onde uma grande parte de nossa sociedade miserável está vivendo. E essa linha invisível que nos separá é a ignorância.

É sabido que não nascemos sabendo, mas a humanidade ao longo de sua existência, construiu conhecimento. E esse conhecimento é um bem tão poderoso e precioso, que a sociedade paga um preço alto para conquista-lo.

Também sabemos que quanto mais aprendemos, mais vemos que não sabemos nada da vida. Ou seja, o conhecimento é como uma gota d´agua em uma mesa, e sua circunferência o contato com o que não sabemos. Quanto maior for o tamanho da gota d´agua esparramada na mesa maior é o nosso contato com o desconhecido. Talvez, por essa ilustração podemos entender um pouco o ignorante. Quanto mais ignorante é uma pessoa, mais ela tende a se achar o Senhor da verdade, pois normalmente ela conclui, eu só não conheço isso e aquilo e ponto final. O tamanho da gota e tão pequeno que seu contato com o vasto mundo do desconhecimento, passa despercebido.

Talvez alguns dirão que a Ignorância é uma benção, como na alusão do segundo vídeo que o Caué Moura faz em tom de Chacota. E talvez, e somente talvez o seja mesmo quando nos referimos ao sofrimento que ela poderá poupar.

Mas seria racional optarmos por esse caminho? Voltarmos a idade das pedras, ou continuar no caminho infinito da busca do conhecimento? Sem pestanejar eu prefiro a segunda opção. Mas parece que nossa sociedade foi construída para alijar uma parcela da sociedade destas conquistas da humanidade.

Sinceramente, me sinto em outro mundo quando vejo cenas como do primeiro vídeo. Me parece um mundo tão distante do meu, que chego nem a acreditar nesse mundo paralelo.

Nesses mundos paralelos em que cada parcela da sociedade está imersa, temos dificuldade até das interações sociais. Pois normalmente são rompidas por discurso de discriminação e ódio. E a ignorância é a mola propulsora desses discursos.

Minha questão é a seguinte: Será que um dia seremos capaz de vivermos em um mesmo mundo, com menos submundos?

A quem interessa toda essa divisão? Será uma questão do acaso?

Acredito que enquanto o individualismo, a ambição exacerbada e a indiferença permear nossos corações, continuaremos a seguir em frente com tantos submundos de ignorância.

Mas para começarmos essa mudança eu te pergunto:

– Ao ver o vídeo abaixo, você se sente feliz por não fazer parte desse submundo ou isso te envergonha e entristece?

Ignorância é uma benção?

Ignorância é uma benção? Um vídeo para refletirmos um pouco mais do Caué Moura!

2 COMENTÁRIOS

  1. Olá Jacques:

    Quanto mais aprendemos, mais descobrimos que nada sabemos. É isso mesmo!

    Eu descobri cedo que não sabia nada, com pessoas polêmicas e sábias que nunca compreendi totalmente, como Jesus Cristo e Sócrates.

    Sou pó e para o pó retornarei.

    Só sei que nada sei.

    Entretanto, o sentido da vida é muito mais que isso. As pessoas não sabem de fato o que vem depois da morte, o que é de fato o céu, como ele é. De fato ninguém quer ir para o céu, já que não conhece outro prazer que não seja o prazer da carne.

    As religiões se tornaram corporativas e atendem apenas os próprios interesses, adaptando-se a sociedade. Veja bem os exemplos de países desenvolvidos como a Noruega, Suécia, Dinamarca, onde o capitalismo, sociedade, política e religião, tem outras formas de serem vistas.

    O brasileiro pode melhorar ou pouco quando descobrir o que significa Brasil, braseiro, brasa, brasinha.

    ABS

    • “Só sei que nada sei”. A grande questão da vida é a pergunta básica que todos nós fazemos um dia.

      – Porque estou aqui ou qual o sentido da vida?

      Realmente, quanto mais primaveras passam em nossas vidas, mais vamos vendo de que nada sabemos. E diante dessa assombração que atormenta a todos, surgem as religiões, que de uma maneira geral mais são usadas para a manipulação, interesses pessoais e enriquecimento.

      Mas como dizem alguns que a religião é um mau necessário, assim caminha a humanidade. Podemos ver a presença do que chamamos de Deus, a todo momento em nossas vidas. A vida em si e a prova viva de que existe um criador, pois não existe criatura sem criador. Assim como não existe uma televisão, prato, torneira etc, sem que alguém que o tenha criado.

      Mas talvez a nossa existência seja um pequeno detalhe nesse Universo Imensurável. E nossa prepotência perante a vida, acaba criando uma versão distorcida de nossa própria existência.

      Grande Abraço

      E podemos acreditar nessa existência, sem necessariamente sermos manipulados pelas religiões que permeiam toda a humanidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here