Fim do Canal Nostalgia e a fragilidade de monetização na Internet

A possibilidade do fim do Canal Nostalgia no youtube, expõem a fragilidade em que estão inseridos os editores e produtores de conteúdo para Internet e seus investimentos para monetizações.

Com a popularização dos blogs e vídeos na Internet, surgiu no mercado uma nova oportunidade de trabalho e monetização de fato na Internet. Acontece que o produtor de conteúdo, poderá de uma dia para noite perder todo seu investimento (de tempo e dinheiro). Isso acontece por uma variedade de motivos. Alguns deles são pelo fato de que você não é dono da plataforma que utiliza para gerar lucros, e a sua revelia ela poderá ser cancelada sem que você utilize instrumentos legais para se defender como a justiça.

Por exemplo, editores do blogspot estão sujeitos a perder suas contas caso violem alguma das diretrizes da política do Google. Diferentemente de você ser dono de um site em que você paga sua hospedagem. Nesses casos, a suspensão de conteúdo só seria interposta por medida judicial, e caso a parte reclamante ganhe a ação.

O que está acontecendo com o canal Nostalgia, também acontece de forma semelhante no facebook, que passou a fazer uma faxina em suas fans pages. E Fans pages que possuíam milhões de curtidas estão sumindo. Um exemplo recente é o caso do Atoa na net que perdeu sua fan page sem nenhuma justificativa plausível. No caso do facebook ainda considero pior pois você gera conteúdo para eles monetizarem, não recebe nenhum dividendo por sua participação ativa na rede e ainda precisa fazer investimentos para gerar curtidas e impulsionar publicações.

Analisando o fim do canal Nostalgia, podemos ver como essas mega corporações da Internet não ligam a mínima para os geradores de conteúdo. Tá certo que alguns irão abordar a questão dos direitos autorais, mais adiante chegarei lá. No caso do Facebook em específico, hoje você precisa pagar para gerar likes em sua fan page, que também não será garantia alguma de que esses mesmos usuários irão ver suas postagens. Ai você precisará pagar para impulsionar suas publicações a fim de atingir um número maior de usuários, que em sua maioria das vezes continuarão no próprio facebook.

Ou seja, utilizar o Facebook como mecanismos para gerar acessos em um domínio externo é inviável para um usuário mortal a fim de monetizar seus sites por intermédio de publicidade. E no final de todo investimento você poderá perder sua fan page caso alguma entrelinha da política seja violada. Concluíndo, é um péssimo negócio para o pequeno investidor.

Já não sei se para os grandes investidores a relação custo benefício é melhor. Mas para o pequeno investidor é uma falácia acreditar que você conseguirá usar o facebook para gerar tráfego para o seu site dentro de uma relação custo benefício.

Voltando ao caso dos editores do blogspot, existe muitos editores que tiveram suas páginas deletadas por violação de política do Google. Eu te pergunto, isso é legal? Sim, é legal e por força de suas políticas eles tem todo o direito, mas é uma postura completamente inadequada. Pois parceria é aquela em que é boa para ambas as partes, quando o negócio fica bom para um lado só, já deixou de ser parceria.

O mesmo se aplica aos editores que monetizam seu site através do Adsense. De uma hora para outra você pode ter sua conta cancelada por violação de suas políticas. E digo logo, se você pretende ganhar dinheiro por intermédio de publicidade, você irá precisar do Adsense. Pois a concorrência fica muito atrás em termos de rendimentos.

Não estou fazendo nenhuma apologia a violações de Copyright, ou qualquer outra questão que estão imposta por força de política dessas empresas. Mas ponderando sobre as penalidades que são imposta aos geradores de conteúdo, em alguns casos, sem direito a reversão, acabam sendo muito duras.

Questões como Copyright em alguns casos são muito sutis, como por exemplo você utilizar uma imagem que buscou pelo próprio google e adicionou em sua matéria. Se você for analisar a fundo. Todas essas imagens estão protegidas por direitos autorais, queira você ou não aceitar isso como um fato.

Voltando ao fim do Canal Nostalgia. No youtube, ficou muito limitante o editor gerar conteúdo autoral, sem que em algum momento ele esbarre em questões de direito autoral. Lembram da bunduda da praia que processou o Jornal Nacional por uso não autorizado de suas nádegas na abertura do telejornal?

Pois então, qualquer youtuber poderá a qualquer momento sofre sanções como essas a partir do momento em que uma marca, empresa ou pessoa achar que está tendo uso indevido de sua marca, imagem, etc.

O fato de você exibir uma garrafa de Coca-Cola na mesa de um debate de youtubers poderá gerar sanções caso a Coca-Cola endenta que aquela imagem, naquele contexto, não interessa a marca. Ao usar pessoas para fazer pegadinhas pelas ruas, nada impede que uma dessas pessoas que não autorizou por inscrito o uso de sua imagem, processem o youtuber.

Como podemos ver é muito vasto o campo para os produtores de conteúdo enfrentarem problemas como os descritos acima. Em contrapartida as empresas que se beneficiam também com a geração desses conteúdos, não tomam uma posição mais pro-ativa e favorável ao pequeno produtor de conteúdo. Para eles basta dar uma cacetada na cabeça do produtor de conteúdo e tudo está resolvido. Lavemos as mãos!

Mas tudo parece meio incoerente, por um lado esses gigantes da Internet tentam fomentar o mercado de criação de conteúdo, subsidiando-os com o blogspot, youtuber, facebook e de outro lado ele encerra contas aos montes por violações de suas políticas.

Deveria existir um meio termo nestas questões, onde ao invés de severas penalizações, o produtor de conteúdo recebe-se advertências com instrução para seu próprio aprendizado. Sempre dando condições que violações pudessem ser contornadas com a retirada do conteúdo do ar, ao invés de uma fan page, canal ou blog inteiro.

Ou está faltando bom senso por parte dessas mega corporações, (que com certeza são pressionadas pelos detentores de direitos autorais) ou o foco que era o pequeno produtor de conteúdo esta migrando para grandes corporações.

Eu por exemplo tive uma conta encerrada no Google em 2011 e perdi, orkut, youtube, gmail e alguns blogs e até hoje não sei o motivo (Talvez possa até ter recebido alguma notificação no gmail, mas como perdi a conta nunca terei acesso a ela). Por mais que envia-se emails perguntando, nunca recebi resposta. Inclusive uma conta que tinha paga do Google Drive foi pro espaço junto com todas as outras. Resultado, quase desisti de ser blogueiro e passei a não mais confiar no armazenamento em nuvem. Pois afinal de contas você poderá perder tudo que está lá a qualquer momento sem nenhuma prévia informação caso viole alguma política que você desconheça. Ou seja o armazenamento de informações em nuvem passou a ser tão frágil, proporcionalmente as severas punições as políticas de utilização dos gestores. Imagine você ter 50,100 ou até 500 gigas de informação em nuvem (tudo pago) e perder tudo de uma hora para outra porque você violou alguma política do Google no blogspot por exemplo. Pois quando você perde uma conta, no caso do Google, perde todos os serviços associados a ela. Dureza não é mesmo? E acredite isso pode acontecer com qualquer um, eu sou exemplo vivo disso.

Concluindo. Acredito que o fim do Canal Nostalgia será um marco nos rumos de produtores de conteúdo para Internet e a fragilidade de seus pequenos negócios. Se já é difícil montar um negócio sustentável na Internet, talvez agora comece a não mais valer a pena tanta dedicação e investimento.

Canal Nostalgia Chega ao fim e expõem a fragilidade de monetização na Internet

2 COMENTÁRIOS

  1. Olá Jacques:

    Eu tenho notado o seu profissionalismo na produção de conteúdo, com textos longos e completos, bem diferente de outros blogueiros. A maioria dos Webmasters mal sabe escrever e, nesse caso, seu blog se destaca.

    Eu tenho analisado alguns pontos que você citou e concordo, por exemplo:

    Quando eu tinha o portal icommercepage ponto com, domínio que já foi roubado, apesar de estar indexada ás minhas atividades, perfis, etc, eu notava as vantagens de ter um domínio próprio, entretanto, nem sei se estou certo, eu discordo do fato de você poder ter liberdade e ser dono do próprio nariz. Veja alguns exemplos: o próprio tedioso teve problemas com hospedagem e eu pude acompanhar isso de perto; o ocioso está com a corda no pescoço e com um grande dilema, apesar de ter seu próprio domínio.

    Funciona mais ou menos assim:

    As empresas vendem seus pacotes, voltados aos seus interesses, enquanto os blogueiros e webmasters procuram o pacote que mais lhe servirá. Acontece que as empresas de hospedagens faturam muito dinheiro com hospedagens de sites institucionais, sites de empresas que não tem tantas visitas, gerando um grande lucro, já que não tem tanto tráfego, não ocupam muito espaço, etc. Quando um linkador como o tedioso começa a entrar na lista dos 1.000 sites mais visitados do país, esse site deixa de ser tão lucrativo e é descartado, todos os linkadores estão passando por este problema

    Foi por isso que eu desisti do domínio próprio: eu tinha uma grande responsabilidade, mas não tinha tanto controle. Além disso, quando a audiência aumentou, começaram os problemas que eu achei a princípio que eram ataques cracker, mas depois eu desconfiei.

    Já como blogueiro, usei uma estratégia diferente, viralizar para fora da internet, utilizando temas de mudanças sociais e políticas, além de outras críticas. A estratégia deu certo, o problema é que deu certo demais.

    Redes de televisão passaram a utilizar o conteúdo sem autorização: MTV, Bandeirantes, SBT, todas as redes de TVs passaram a utilizar conteúdo de meu blog. Eu não vou negar que eu fique satisfeito de ver a minha teoria de espaço porto ser citada por um seriado famoso como o Big Bang Theory, também não vou negar que fiquei muito feliz em ver meu site destacado na RT-TV da Espanha, e até ser citado no Late Show, na entrevista do Eddie Murphy, mas é muito chato ser explorado sem nenhum retorno.

    Com exceção da RT-TV que passou a ser minha fonte de conteúdo, a maioria das empresas não me oferece nenhum retorno. Nesse caso o conteúdo político e crítico pode ser a melhor área para escrever pois, caso seja copiado, continuará atendendo ao seu objetivo. Eu sempre escrevo no final de um texto quando quero que copiem.

    O curioso é que não citam nem a referência, e isso acontece com os próprios blogueiros folgados que preferem copiar a escrever.

    Se um blogueiro não recebe para criar, inevitavelmente irá parar de produzir. Eu, por exemplo, dei uma pausa na área de criação, não pelo dinheiro, que não é meu objetivo, mas porque tenho uma vida para viver e muitos projetos.

    A internet continua sendo um bom canal de comunicação e denúncia, mas para ganhar dinheiro, só quando as empresas deixarem de ser tão elitistas. Para quem tem sites em inglês, é muito mais lucrativo, mas os sites com domínio próprio são os mais procurados.

    Eu me sinto mais livre e seguro sem domínio próprio, apesar de ver muitos amigos reclamando, entretanto, tudo o que publico, traduzo ou crio, fica arquivado, caso os meus blogs seja apagados. É por isso que tenho os dois maiores blogs do mundo: blogspot e wordpress.

    As plataformas brasileiras são as menos confiáveis, mas nem os aplicativos americanos estão livres de serem vendidos e de mudarem suas políticas, como aconteceu com o Skype, hotmail, também os sites comprados pela Google, como Orkut, Blogspot e Youtube.

    Eu espero nunca perder um subdomínio mas se isso acontecer, seria uma catástrofe, depois de tantos anos.

    ABS

    • Olá Jânio,

      Realmente você falou tudo. O foco são as grandes corporações. Os provedores de internet não tem interesse em sites com muito tráfego, pois todo tráfego é pago apesar de vermos vários pacotes por ai falando ao contrário.

      Meu caso por exemplo, já passei pela locaweb, bluehost e por último hostgator. A bluehost possui um sistema que controla o uso de CPU de cada site, caso seu site utilize muita CPU durante muito tempo ela vai bloquear o seu site. A partir daí desenvolvi um sistema de cache próprio para o sistema do Tedioso para evitar ao máximo o uso de CPU e acesso a banco de dados. E deu certo, o sistema passou a utilizar muito pouca CPU e acesso a banco de dados para o volume de tráfego que vinha tendo. Daí começaram outros problemas, como os pacotes mais baratos normalmente são pacotes com tráfego ilimitado, eu passei a usar muita banda e pouca CPU e Banco de dados.

      Conclusão, acabei criando uma precha no sistema deles que e mais ou menos dimensionado de acordo com a sobrecarga que um maior número de acessos irá criar na CPU e Banco de dados. Fazendo com que você deva migra de plano. Como o tedioso passou a ter um sistema com páginas estáticas (somente load de arquivo html), o uso de CPU não cresceu mais o uso de banda sim. Ai começa a não valer a pena para eles esse tipo de conta, passaram a alegar o uso de muito recurso do sistema. Mas que recurso? Largura de banda é lógico, pois isso entra na contabilidade deles.

      Daí então migrei para a hostgator a mais ou menos dois meses atráz, me resguardei de perguntar ao vendedor se eles aplicavam algum bloqueio de conta no caso de uso excessivo de recurso do servidor. E qual foi a alegação do atendimento. Que o site poderia ficar indisponível em alguma consulta caso houve-se pico de uso de CPU mas não bloqueio da conta.

      Depois de 2 meses sem nenhum problema com a hostgator, meu tráfego já estava chegando a 530Gb de transferência por mês e acho que deve ter tocado um alertazinho lá no datacenter do tipo: esse cara tá usando muito tráfego em um plano de baixo custo para os padrões de servidores compartilhados. Como eles não podiam alegar estrangulamento de CPU eles vieram com o argumento de utilização de muito recurso do servidor e sugeriram um serviço tipo cloudflare. Porque? Para diminuir o uso de banda do datacenter deles. Mas o plano não é ilimitado? Pois é uma tremenda de uma mentira que contam para todos nos.

      Inicialmente resolveram bloquear meu bando de dados. Como meu sistema poderia continuar a funcionar mesmo sem o acesso ao banco de dados, graças ao sistema de cache, o site ficou parcialmente no ar na primeira interrupção. Mas ai coloquei uma mensagem sobre a baixa qualidade do serviço deles, e como você sabe, uma propaganda ruim vale mais do que dez boas. Então resolveram bloquear o site inteiro sem a menor cerimonia e respeito a um cliente que está adimplente e com pagamento adiantado em relação a data de vencimento da fatura. O único que ficou fora do ar na primeira interrupção foi o blog pois roda em wordpress e precisa de acessar o banco de dados.

      Ai te pergunto. Como uma site que estava fazendo apenas load de arquivos html sem execução de script ou acesso a banco de dados poderia estar consumindo recursos do servidor. E lógico que não, load de arquivos html só consomem banda mesmo.

      A relação custo benefício para sites com tráfego alto e muito complicado, pois praticamente não e o foco da maioria dos grandes datacenter.

      Um grande abraço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here