O início

A história do TEDIOSO começa assim:

Sou um Analista/programador que trabalhava em uma empresa que executa Concursos Públicos para as Fundações e Universidades. Nessa empresa desenvolvi em grande parte a engine dos  concursos Públicos.

Com mais de 18 anos de profissão e com o 8 anos nesta empresa fui surpreendido com uma doença grave que me afastou do trabalho e me colocou de benefício.

Em meu tratamento cogitou-se que eu deveria voltar a usar o computador, já que ele era a minha identidade. E assim no segundo ano de benefício comecei um blog chamado tecg1.com que durou mais ou menos uns 8 meses. Apesar de toda minha experiência na área de informática, pude ver que na Internet eu era um analfabeto. E comecei a quebrar a cabeça como todo mundo. A busca pela popularidade era um caminho tortuoso, mas aos poucos os horizontes foram se abrindo. Entrei em comunidades, fóruns, etc. Até que descobri os agregadores. Nossa que maravilha os agregadores. A audiência vai lá para cima.

Então fiquei muito animado com eles. Só não entendia o motivo de muito de meus post não serem publicados. Eu não usava imagens apelativas para atrair os clicks, não trabalhava com post de mulheres. Trabalhava com conteúdo de tecnologia, com narrativas todas feitas por mim. E diga-se de passagem dava uma trabalheira danada.

Esse foi o estopim para começar a germinar em minha cabeça a ideia de ter um agregador.  – Mas como?  Eu estava tal mal que não tinha condições de fazer nenhum desenvolvimento. Com o tempo eu tive pioras e abandonei o blogue que acabou saindo do ar.

Bom um belo dia eu fui olhar minha caixa postal e tinha um anúncio de venda de um agregador feito pelo W. Ramos (Hoje existe centenas de clones dele espalhados pela web graças ao sucesso do TEDIOSO). e eu resolvi comprar e iniciar minha outra empreitada na web. Seria o primeiro aplicativo que iria trabalhar que não havia sido desenvolvido por mim.

Coloquei no ar e comecei a divulga-lo. Minha ideia inicial era liberar todos os links indiscriminadamente. Ledo engano. Quanto amadorismo!!! As coisas não estavam saindo do jeito que imaginei. O site mais parecia um site porno. Alguns blogueiros na tentativa de obter uma audiência para seus blogues a qualquer custo utilizavam de qualquer recurso.

As coisas estavam fugindo ao controle e não era essa minha ideia inicial. O que eu desejava era entregar aos blogueiros um agregador democrático. Onde todos pudessem enviar seus links sem nenhuma avaliação previa de seu conteúdo. Quando você envia um link para um agregador e ele não publica esse link ele fica perdido pois você não poderá utiliza-lo novamente para publicação no mesmo agregador. Queria que os Internautas se encarregassem de fazer essa seleção natural do conteúdo.

Mas alguns blogueiros não estão acostumados a este tipo de liberdade em um agregador  e confundiram liberdade com libertinagem. Comecei a apresentar meu agregador para alguns amigos e familiares e eles me olhavam de banda quando viam as imagens no site.  Eu realmente não podia mexer no site perto de minha filha. Ai comecei a ver que tinha algo muito errado.

Decidi que não ia mais trabalhar com categoria adulta no site e passaria a criar diretrizes que mais tarde se transformaram na Política do TEDIOSO. A ideia é criar um agregador onde não haja conteúdo apelativo e que minha filha e seu filho possa acessa-lo sem que possamos ficar preocupados. Existem centenas de sites pornos com conteúdo muito mais segmentado que um agregador. Não sei se vale a pena misturar esses dois mundos pelo simples fato de conquistar mais audiência.

Sei que a pornografia está imersa na Internet e basta um clique aqui ou ali e você vai se deparar com ela. Mas quero ser menos um a contribuir para ela. Não sou nenhum moralista. Pelo contrário sou uma pessoa bem liberal, entretanto acho que não cabe a um portal de entretenimento esse tipo de conteúdo.

Assim começa a história do TEDIOSO. Todo o sucesso que o TEDIOSO teve até agora também devo agradecer a todos os blogueiros contribuidores e Internautas assíduos. Sem os quais o TEDIOSO não existiria.

Um grande abraço a todos,

Jacques

Facebook Comments